Você está aqui: Página Inicial > Páginas > Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede Nacional (PROFEI)

Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede Nacional (PROFEI)

por Comunicação Paranaguá publicado 15/06/2020 12h55, última modificação 13/08/2020 08h38
Descrição do programa

O Mestrado Profissional em Educação Inclusiva em Rede Nacional (PROFEI) se justifica, principalmente, pelo aumento expressivo de matrículas de pessoas com deficiência na Educação Básica e Superior. Por essa razão, implica em uma demanda de aprimoramento profissional dos professores em todo o território nacional, no que se refere à formação continuada em consonância com as políticas públicas de inclusão escolar e uso das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC).

O objetivo do programa é desenvolver processo formativo profissional que permita buscar meios para efetivar uma sociedade inclusiva, no sentido de que a escola realize metodologias inovadoras para que os estudantes do eixo da Educação Inclusiva: pessoas com deficiência, TEA , altas habilidades/superdotação transtornos específicos e outros grupos sociais historicamente excluídos, possam aprimorar seu potencial e habilidades dentro do ambiente escolar e em seu próprio cotidiano, tanto no contexto social, familiar e profissional.

Para tanto, espera-se congregar pesquisadores de instituições de ensino superior públicas, das 5 regiões do país, com histórico de grupos de pesquisa na área da educação especial e da educação inclusiva e experiência com o tema, além de vincular o mestrado aos diferentes setores da sociedade que têm se preocupado com ações inclusivas.

A educação brasileira tem como meta que a escola básica se torne mais inclusiva, aprendendo a valorizar as diferenças culturais, sociais, físicas, religiosas, raciais e as formas diferenciadas de aprendizagem de cada estudante, proporcionando um novo fazer pedagógico para os educadores.

Considerando os processos educacionais e especialmente o uso de TDIC e mídias digitais nesse processo, justifica-se a necessidade de proporcionar um processo formativo em nível profissional que auxilie os participantes a elaborar plano e executar

ações para a promoção de um ambiente escolar que permita o acesso e a permanência dos Estudantes Público Alvo da Educação Especial (EPAEE).

O movimento pela Educação Inclusiva tem ganhado força há mais de 10 anos, uma vez que a legislação brasileira garante a matrícula compulsória de crianças e jovens com deficiência, TEA e altas habilidades/superdotação em todos os níveis e modalidades de ensino.

No entanto, para que este se estenda para além da matrícula, garantindo também a permanência desses estudantes na escola e a oportunidade de se desenvolverem, é necessário investir em formação de professores.

Assim, a formação proposta será articulada com a necessidade de que a escola crie uma cultura inclusiva, uma vez que a escola inclusiva não é feita de boas intenções, mas sim de ações concretas e planejadas. Os profissionais precisam envolver-se em um projeto coletivo, que passa por uma reformulação do espaço escolar como um todo, desde o espaço físico, a dinâmica e manejo de sala de aula, passando por currículo, metodologia e estratégia de ensino, formas e critérios de avaliação.

Finalmente, justifica-se a proposta diante da necessidade emergente de se estruturarem cursos em modalidades educacionais (virtuais e/ou semipresenciais) que possibilitem a formação continuada e em serviço dos educadores em uma perspectiva inclusiva. Diante do exposto, o oferecimento do curso de Mestrado Profissional visa primordialmente construir uma cultura inclusiva que articule a equipe escolar e os educadores para que aprimorem seus conhecimentos técnicos, pedagógicos e científicos para trabalhar positivamente com às diferenças.